conflitos por água

Levantamento registra conflitos por água nos últimos 5 mil anos

Banco de dados foi atualizado em maio com mais oito conflitos por água que se iniciaram em 2017; consulta é gratuita e aberta a todos

SÃO PAULO – O “Pacific Institute Water Conflict Chronology”, uma base de dados que registra e detalha conflitos ligados à água nos últimos cinco mil anos, acaba de ser atualizada. Segundo os novos dados, em 2017, foram anotadas oito instâncias de hostilidades desse tipo. Em 2016, 17 conflitos foram registrados. O levantamento reúne ocorrências diversas de violência que vão de disputas por acesso à água doce e ataques a sistemas de distribuição e tratamento do recurso, até o uso da água como arma e ataques terroristas ligados à disputa pelo líquido. “A história dos conflitos por água é longa e lamentável”, diz Peter Gleick, criador da base de dados e cofundador do Pacific Institute. “O que preocupa, porém, é o aumento no número de incidentes nos últimos anos e, principalmente, o aumento tanto de casos de violência ligada ao acesso aos serviços básicos de água quanto de ataques intencionais à infraestrutura de água durante conflitos que começam por outras razões, principalmente no Oriente Médio”, diz Gleick.

Conflitos em 2017

Entre os sete conflitos incluídos em 2017, três são na Síria e os outros cinco na Índia, Iêmen, Bangladesh, Sudão (Darfur) e Ucrânia. Os casos envolvem disputas por água durante período de seca, bombardeios de parte da infraestrutura de distribuição do recurso, brigas pelo acesso à água no campo e até o alagamento de cidades inteiras por terroristas. Conflitos que se iniciaram em outros anos e ainda acontecem também estão registrados, além de atentados a lideranças que defendem o acesso à água por grupos populacionais privados do direito ao líquido. “A pressão sobre as fontes de água pelo mundo continuará a crescer”, reforça Gleick. “O aumento no número de conflitos desse tipo perturba, mas também estimula uma reação – pesquisadores, especialistas em questões ligadas à água, diplomatas e militares devem aprimorar o entendimento que têm sobre os vínculos que existem entre água, segurança e trabalho para diminuir os riscos de conflito pelo mundo”, afirma.

Leia mais
Conflitos pela água: podem acontecer?
10 filmes e séries sobre falta de água
Ferramenta monitora volume de água de reservatórios do semiárido brasileiro

As consultas ao “Pacific Institute Water Conflict Chronology” são gratuitas e abertas a todos. Quem visitar a página poderá ler a cronologia de conflitos por recortes como data, região e tipo de conflito. Há ainda a possibilidade de consultar um mapa mundial onde todos os conflitos no registro foram plotados. A opção pela consulta de todos os registros no formato de lista também está disponível. Cada instância descreve as partes envolvidas na briga, se houve violência consumada contra pessoas ou propriedades ou ainda se a violência se limitou à ameaças e manobras militares.

Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0

Comece a conversa